GREVE NO INCRA EM BRASÍLIA INICIA A TODO VAPOR

PDFImprimirE-mail

Tanto na Sede nacional do Incra, no Setor Bancário Norte, quanto na Superintendência Regional do Distrito Federal e Entorno (SR-28), o primeiro dia de greve dos servidores da autarquia foi bastante movimentado e com apoio expressivo de colegas do quadro, bem como de integrantes de movimentos sociais, sindicatos e parlamentares. [caption id="attachment_100" align="alignnone" width="300" caption="Servidores da SR-28 atentos aos informes"][/caption] Nos dois locais o dia dos servidores em greve começou bem cedo, com café da manhã reforçado passando por informes, discursos, mensagens e declarações de apoio, reuniões com gestores. Almoço também foi servido aos servidores e apoiadores do movimento paredista. Entre as manifestações de apoio de movimentos sociais que defendem a reforma agrária, a de Pedro Firmino, representante da Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar (Fetraf) no evento, foi a mais contundente. “Vamos radicalizar a greve dos servidores do Incra. É preciso parar tudo para o Governo compreender a importância deste órgão. É necessário fortalecer o Incra para que a reforma agrária vá em frente. Nisso, os movimentos sociais apoiam integralmente os servidores”, opina o líder da Fetraf, durante discurso em ato em apoio à greve realizado na SR-28. [caption id="attachment_101" align="alignnone" width="300" caption="Pedro Firmino pediu radicalização do movimento"][/caption] Presentes ao evento estavam ainda representantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Distrito Federal e Entorno (Fetadfe). [caption id="attachment_102" align="alignnone" width="300" caption="Marcão (esq.) disse apoiar a luta dos servidores"][/caption] A exemplo do presidente do Incra, Rolf Hackbart – que em 15/4 disse durante reunião com servidores, no Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), estar de acordo com o estabelecimento da equivalência de remuneração entre as carreiras na autarquia, bem como o fortalecimento do órgão –, o superintendente da SR-28, Marco Aurélio Rocha, declarou total apoio ao movimento “Isonomia e Reestruturação JÁ!”, lançado em 5 de maio. Marcão, como é conhecido pelos servidores, se mostrou preocupado com o atual estado da autarquia. “Do jeito que está o Incra vai acabar. Irá chegar ao extermínio se continuar a não ser valorizado como deve. Isso é ruim também para a reforma agrária, movimentos sociais e o Brasil, de forma geral”, afirma. O superintendente, no cargo desde o início deste mês de abril, é servidor do Incra há 28 anos. [caption id="attachment_105" align="alignnone" width="225" caption="Deputado Pedro Wilson se colocou à disposição"][/caption] Outro importante apoio à greve dos servidores do Incra foi o do deputado federal Pedro Wilson (PT/GO), também presente ao evento. “Coloco meu escritório à disposição dos servidores do Incra para que possamos fortalecer esta instituição. Precisamos avançar na reforma agrária, que é feita apenas com um Incra forte e servidores valorizados”, assegura o parlamentar. [caption id="attachment_107" align="alignnone" width="300" caption="Cardoni dá informes na Sede"][/caption] Na sede do Incra o diretor nacional da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef), Edison Cardoni, deu informes sobre a atuação da entidade em relação aos movimentos grevistas nos últimos dias e esclareceu dúvidas dos presentes. Greve pelo Brasil A maioria das 30 Superintendências Regionais do Incra está com forte mobilização no sentido de parar definitivamente as suas atividades, como forma de pressionar o governo a reabrir as negociações com propostas efetivamente fortalecedoras do órgão. [caption id="attachment_110" align="alignnone" width="300" caption="Servidores do Goiás em GREVE!"][/caption] Entre esta sexta-feira (30) e a próxima quarta-feira (5/5) todas as Superintendências devem já ter se definido pela greve ou não. Marabá (PA), Goiás, Sede (Brasília), DF e Entorno, Rio de Janeiro e Espírito Santo já aderiram ao movimento grevista. Nesta segunda-feira (3/5), iniciam o movimento paredista o Incra nos estados de São Paulo, Rondônia e Rio Grande do Norte. Também na segunda-feira (3/5) vão acontecer assembleias para definir posicionamento no movimento os estados do Paraná, Tocantins, Minas Gerais. A adesão ao movimento está diretamente ligada ao resultado da reunião que vai ocorrer entre os servidores do Incra e a Secretaria de Recursos Humanos, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), para retomar as negociações encerradas, em fevereiro último, unilateralmente pelo Ministério. Essa reunião vai acontecer dia 5 de maio, às 10h30min, com o secretário de recursos humanos do MPOG, Duvanier Ferreira. No encontro, a Confederação Nacional das Associações dos Servidores do Incra (Cnasi) vai defender junto ao MPOG a isonomia e reestruturação das carreiras no Incra, como pré-condições ao seu fortalecimento. Fonte: Ascom Cnasi / Assera-BR

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Blogs das Regionais

Links Úteis

sindsepdfasseraincracutfassincracnasi_lutas