News

CNASI EMITE NOTA DE REPÚDIO CONTRA REDUÇÃO DA ÁREA DA COMUNIDADE QUILOMBOLA MESQUITA

PDFImprimirE-mail

Qua, 06 de Junho de 2018 20:46

Diversas entidades que atuam com comunidades remanescentes de quilombo no Brasil emitiram documentos rejeitando e repudiando a decisão do Conselho Diretor do Incra, que reduziu a área do Território Quilombola Mesquita - localizado no município de Cidade Ocidental, no Estado de Goiás. Pela decisão, oficializada por meio da Resolução Nº 12, de 17/05/2018, a Comunidade Quilombola Mesquita teve sua área reduzida de 4.292 hectares para 971 hectares, representando uma retração de 82% do território identificado e delimitado pelo próprio Instituto, mediante estudos técnicos estabelecidos em normativos internos.

 

CNASI-AN EMITE NOTA SOBRE A GREVE DOS CAMINHONEIROS E ENVIA OFÍCIO A ÓRGÃOS SOBRE PONTO FACULTATIVO PARA SERVIDORES E TERCEIRIZADOS DO INCRA/SEAD

PDFImprimirE-mail

Dom, 27 de Maio de 2018 23:19

A Diretoria da Associação Nacional dos Servidores Públicos Federais Agrários (CNASI-AN) vem a público se posicionar sobre a greve dos caminhoneiros, que é um movimento considerado pela entidade como justo, pois tem uma pauta em prol da diminuição do preço dos combustíveis, dentre outras reivindicações, como a melhoria de suas condições de trabalho e de reprodução da vida.

 

ASSEMBLEIA NACIONAL DA CNASI-AN E ENCONTRO DO SETOR AGRÁRIO APROVAM PLANO DE LUTAS E INTENSIFICAÇÃO DA MOBILIZAÇÃO DOS SERVIDORES PELA REESTRUTURAÇÃO DE CARREIRAS

PDFImprimirE-mail

Sex, 04 de Maio de 2018 09:17

P 20180503 095950 3Em dois eventos nacionais - ASSEMBLEIA NACIONAL da CNASI-AN e ENCONTRO NACIONAL DOS SERVIDORES DA AGRICULTURA E REFORMA AGRÁRIA -, os servidores do Incra e SEAD debateram uma série de temas relacionados à conjuntura nacional e do Brasil e dos órgãos agrários, reestruturação de carreiras, campanha salarial, Plano de Lutas e mobilizações.

 
 

REUNIÕES NO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO E COM SUPERINTENDENTES DO INCRA INDICAM QUE A MOBILIZAÇÃO DOS SERVIDORES É IMPRESCINDÍVEL NA LUTA PELA REESTRUTURAÇÃO DAS CARREIRAS

PDFImprimirE-mail

Ter, 17 de Abril de 2018 16:41

reune superes 6abril2018 2A busca por apoio político-parlamentar foi amplamente destacada nas duas últimas reuniões, no Ministério do Planejamento e com os superintendentes regionais do Incra, como uma via importante para se buscar o fortalecimento do Incra e reestruturação de suas carreiras. A Diretoria da CNASI-ASSOCIAÇÃO NACIONAL reconhece que o apoio político-parlamentar tem seu grau de influência no processo de fortalecimento do órgão e na reestruturação das carreiras, mas avalia que, diante da conjuntura econômica e política do país, só a mobilização efetiva, a unificação das lutas com outros trabalhadores federais e a paralisação das atividades dos servidores do Incra têm a possibilidade de pautar qualquer avanço – incluindo melhorias nas condições de trabalho, luta pela reestruturação de carreiras e redução das jornada, qualificação na gestão, infraestrutura, etc.

 

Planejamento

No dia 5 de abril de 2018 houve a segunda reunião do ano das entidades representativas do Incra (Cnasi-AN, associações de servidores regionais de Rondônia, Rio de Janeiro e Distrito Federal, além do SindPFA) com o Departamento de Relações de Trabalho do Serviço Público (DERET/SGP), da Coordenação Geral de Negociação Sindical no Serviço Público (CGNSP/DERET/SGP) e da Coordenação Geral de Estudos Normativos das Relações de reune planejamento 5abril2018 2Trabalho (CGERT/DERET/SGP) do Ministério do Planejamento para tratar da reestruturação de carreiras. Também estiveram presentes na reunião assessores da deputada federal Marinha Raupp (PMDB/RO) e do Senador Davi Alcolumbre (DEM/AP).

 

Depois da argumentação das entidades representativas, as quais atualizaram os informes das últimas atividades políticas em busca de apoio para a reestruturação de carreiras, assim como ocorreu na primeira reunião, foi a vez do Ministério do Planejamento avaliar a proposta e documentos apresentados uma semana antes.

 

Em resumo, os representantes do Ministério do Planejamento afirmaram que as reivindicações dos servidores do Incra das duas carreiras são justas, coerentes e adequadas pela importância do órgão, além de que estão de acordo e “prontos para fazer uma contraproposta”. No entanto, afirmaram que “há outras 50 carreiras querendo também reestruturação, que há restrição orçamentária para alterações que exigem impacto financeiro, que não existe autorização do Governo para atendimento especial ao Incra”.

 

Alinhamento Estratégico

reune superes geral 6abril2018 2No dia 6 de abril de 2018 foi realizado o painel “Reestruturação de Carreiras do Incra” que reuniu o SindPFA, a Cnasi-AN e a Assera/BR para debater com a direção da autarquia propostas de atuação conjunta em favor da implementação do Proposta de Plano de Cargos. O evento realizado em Salvador/BA, que integrou a Reunião de Alinhamento Estratégico para 2018, composto pela Direção Nacional do Incra e superintendentes regionais, recebeu pela primeira vez as entidades representativas dos servidores.

 

Inicialmente previsto para finalizar em 2 horas, o evento durou cerca de 4 horas, com atenta e ampla participação dos superintendentes do Incra, tanto para sondar as entidades representativas sobre objetivos e táticas de atuação, quanto para “se colocarem à disposição” na busca por apoio político-parlamentar.

 

Ainda no evento o diretor substituto de Desenvolvimento de Projetos de Assentamento do Incra, Douglas Souza, foi nomeado pela direção do órgão para ser o interlocutor entre entidades representativas e Governo. A primeira reunião de Douglas e as entidades representativas ocorreu em Brasília, no dia 12 de abril, e foram traçadas linhas de atuação e definidas algumas ações para as próximas semanas, incluindo uma reunião na Casa Civilreune grupo reestruturacao 12.04.2018 2 para se ouvir diretamente do Poder Executivo qual o papel do Incra na atual gestão e a valorização dos servidores.

 

Avaliação da Cnasi-AN

Apesar do discurso oficial do Governo de que a busca por apoio político-parlamentar é a via mais apropriada no momento, após as reuniões no Ministério do Planejamento e com os gestores do Incra a Diretoria da CNASI-AN avalia que Governo quer que os trabalhadores do Incra continuem a realizar suas atividades. A titulação de lotes dos assentamentos é a meta prioritária, e o Governo deseja que esta atividade prossiga sem que haja efetivo investimento na estrutura do órgão, muito menos na valorização dos servidores – por meio da reestruturação de carreiras –, pois até o momento não houve nenhum ato formal / oficial para efetivá-la.

 

Evidentemente que o interesse do Governo é o cumprimento das metas impostas de titulação de lotes da reforma agrária, de viabilização da certificação de imóveis rurais e o Sistema de Gestão Fundiária (Sigef), de regularização de imóveis em áreas públicas. E isso fica ainda mais evidente por conta das eleições que ocorrem em outubro deste ano.

 

A Diretoria da CNASI-AN lembra que historicamente essa tática dos sucessivos governos em receber as entidades representativas e marcar todo um calendário de reuniões, mantêm os servidores na “esperança” de que “agora há a possibilidade de ser resolvida a pauta de reivindicações na negociação”. Na maioria das vezes as negociações não evoluíram adequadamente, levando a frustrações e péssimos acordos.

 

Em resumo, a Cnasi-AN avalia que existe uma possibilidade pequena de atendimento das reivindicações de reestruturação de carreiras nos próximos três meses, caso as entidades representativas e os servidores se mobilizem no âmbito interno e externo.   

 

A mobilização no âmbito interno deve ser feita com a realização de atividades, assembleias, reuniões preparatórias, debates sobre o tema, piquetes, operações padrões, vigílias, como forma de discutir a conjuntura da luta, informar, integrar e fazer pressão efetiva no Governo.

 

Já a mobilização externa deve ocorrer por meio de união com outras categorias de trabalhadores do serviço público federal e trabalhadores em geral, para sustentar, com mobilização efetiva, a busca de apoio político-parlamentar.

 

A possibilidade de atendimento da pauta só aumenta com o aumento da mobilização dos servidores. Além disso, é necessário o máximo esforço para participar da Plenária Agrária da CONDSEF e da Assembleia Nacional da CNASI, ambas a se realizarem no início de maio, como forma de traçar táticas unificadas para a luta.

 

Fonte: Cnasi-AN

 

CNASI-AN FAZ RELATO E AVALIAÇÃO DE TRÊS SEMANAS DE PRESSÃO NO GOVERNO PELA REESTRUTURAÇÃO DE CARREIRAS DO INCRA

PDFImprimirE-mail

Sáb, 31 de Março de 2018 20:07

Planejamento 29 3 2018 20180329 102417Durante as últimas semanas do mês de março de 2018, as entidades nacionais representativas dos servidores do Incra, Cnasi-AN e SindPFA, acompanhadas das regionais Assincra/RO, Assincra/RJ e Assera/BR fizeram uma série de reuniões com lideranças políticas, parlamentares e representantes do Governo Federal em Brasília/DF, para pressionar pela reestruturação de carreiras dos servidores do Incra. O esforço concentrado nesse período justificou-se pela redução de prazos para este tipo de demanda em face da legislação eleitoral.

 

Em todas as reuniões as representações dos servidores fizeram defesa da reestruturação das carreiras, como etapa essencial para que o Incra consiga realizar com eficiência sua missão institucional de promotor da democratização de acesso à terra, do ordenamento da estrutura fundiária e cadastro no Brasil. O documento básico entregue em todas essas reuniões foi uma minuta de Medida Provisória, confeccionada há cerca de um ano, tendo por base o Relatório Final do GT de Carreira, de 2016.

 

As reuniões em Brasília ocorreram: nos gabinetes de parlamentares de vários estados e partidos, com a bancadaReunião com Romero Jucá 19 03 2018 006 2 parlamentar de Rondônia por duas vezes, com o líder do Governo senador Romero Jucá também por duas vezes, com a Casa Civil da Presidência de República e o Ministério do Planejamento.

 

Durante este período, trabalhadores e associações pressionaram parlamentares nos estados em reuniões e outras iniciativas. Servidores do Incra em Rondônia, juntamente com a Assincra/RO foram a evento de titulação com participação de vários políticos, como ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, e entregaram proposta de reestruturação e solicitaram apoio. Outro exemplo ocorreu em Roraima, quando Assincra/RR e servidores do Incra estiveram reunidos com senador Romero Jucá, na casa do parlamentar, em Boa Vista/RR, para solicitar seu apoio formal às reivindicações. Tanto em Brasília, como em Roraima Jucá explicitou apoio político à reestruturação das carreiras e fortalecimento do Incra, mas argumentou que momento financeiro do país não é bom e Governo vai ter dificuldades para atender a demanda. “Vamos buscar alternativas para Reune titula osmar terra IMG-20180316-WA0031atender os servidores”, disse o líder do Governo Romero Jucá, na reunião em Brasília.

 

Os apoios formais e protocolares surgiram de vários lugares do país, por meio de ofícios emitidos por lideranças políticas e parlamentares de diversos e estados e partidos. Por solicitação da Cnasi-AN, associações e trabalhadores os ofícios foram enviados à Presidência do Incra, ao Ministério do Planejamento e Casa Civil da Presidência da República. 

 

Em âmbito formal e burocrático, a Diretoria da Cnasi-AN vai intensificar o contato direto com os gabinetes da Casa Civil, da Liderança do Governo, senador Romero Jucá, e do Ministério do Planejamento no sentido de pressionar para atendimento da pauta de reestruturação de carreiras.

 

Planejamento

A série de atividades das três semanas foi finalizada no dia 29/3, com uma reunião da Cnasi-AN com Ministério do Planejamento para tratar da reestruturação de carreiras. Participaram pelo Planejamento, integrantes do Departamento de Relações de Trabalho do Serviço Público (DERET/SGP), da Coordenação Geral de Negociação Sindical no Serviço Público (CGNSP/DERET/SGP) e da Coordenação Geral de Estudos Normativos das Relações de Trabalho (CGERT/DERET/SGP). A Cnasi-AN estava acompanhada de representantes da Assincra/RJ e da Assera/BR.

 

A Cnasi-AN fez explanação dos fatos antecessores da proposta de reestruturação apresentada, que passou pelo Aviso Ministerial de 2015, criação do GT de Carreira cuja emissão do Relatório Final ocorreu em 2016 – protocolado pelo próprio presidente do Incra, Leonardo Góes, na Casa Civil em dezembro de 2017. A CNASI-AN acrescentou ainda que esteve reunida na Casa Civil em 2016, 2017 e 2018 para tratar do tema de reestruturação, bem como nas últimas semanas tinha intensificado as articulações e contatos políticos no sentido de buscar apoio à proposta. Outras informações e exemplos das dificuldades dos servidores do Incra foramSEI oficio reestrutura incra casa civil2 dez2017 explicitados por representantes da Assincra/RJ e da Assera/BR.

 

Alguns documentos subsidiando os argumentos explicitados foram entregues em mãos aos representantes do Planejamento, a exemplo da proposta de reestruturação construída pela Cnasi-AN contemplando as duas carreiras do Incra, ofício da autarquia para Casa Civil e uma análise apontando o ITR como a fonte de recurso financeiros para a pauta.

 

Representantes do Planejamento recepcionaram os documentos e afirmaram que irão analisar a pauta de reivindicações. Em resposta preliminar à demanda, como já era esperado, argumentaram que o momento econômico e financeiro do país não é dos melhores, apesar das expectativas dos analistas do Governo apontarem para evolução da economia. Enfim, o mesmo discurso de sempre, que encobre a realidade que esta por trás - não há recursos para atendimento dos trabalhadores, pois a prioridade é atender as demandas do capital industrial, financeiro e agrário.

 

Ficou acertada uma nova reunião para 5 de abril de 2018, às 14h30min, no Ministério do Planejamento, em Brasília. Cnasi-AN se comprometeu junto ao Planejamento em convidar o SindPFA para participar desta reunião, como forma de tratar unificadamente as reivindicações, pois havia um agendamento deles para dia 20 de abril de 2018.  Ainda na tarde daquele mesmo dia houve reunião com SindPFA, que aceitou de pronto participar doP 20180329 113238 encontro de 5 de abril de 2018.

 

Avaliação da CNASI-AN

Desde 2016, com a conclusão do GT de Carreira, que Cnasi-AN protocola ofícios e se reúne com o Governo (mais explicitamente com Presidência do Incra, Ministério do Planejamento e Casa Civil) para apresentar a proposta, debater a necessidade de reestruturação eficiente das carreiras e buscar alternativas para se atender as reivindicações dos servidores.

 

Após o impeachment, em 2016, houve um “novo direcionamento” das atividades do Incra para fomentar a titulação, em detrimento da outras políticas do órgão, que já estavam esvaziadas - a exemplo da criação e desenvolvimento de assentamentos, Cadastro e Regularização Fundiária. Apesar do Governo fazer inúmeros discursos favoráveis ao fortalecimento do órgão com este “novo direcionamento” na prática se vê um “mais do mesmo”, pois o orçamento é um dos mais baixos da história, a infraestrutura do Incra piora a cada dia, a sobrecarga de trabalho só aumenta em face da não reposição da forca de trabalho e das aposentadorias, o assédio moral institucional para o cumprimento de metas tem provocado a piora das condições de trabalho e de saúde dos trabalhadores. Além disso, tem se aprofundado o autoritarismo das chefias, a carência de material de trabalho, o sucateamento da assistência à saúde, a corrosão do poder de compra dos salários - principalmente com o aumento do valor de Casa Civil P 20180322 100219 2contribuição para GEAP. E para piorar, nenhum sinal de reestruturação de carreiras.

 

Apesar de todo esforço oficial e protocolar da CNASI-AN na luta pela reestruturação das carreiras, a avaliação da Diretoria Nacional da CNASI-AN é de que absolutamente nada virá sem mobilização real das bases. Nunca se conseguiu sequer os pífios reajustes ocorridos sem a efetiva mobilização dos trabalhadores. A conjuntura econômica e política não nos permite afirmar de que há um sinal do Governo para tratar a pauta de reivindicações dos servidores do Incra diferentemente de como vem sendo tratada a pauta das demais categorias da classe trabalhadora. Recepção de documentos e propostas em reuniões de Gabinete faz parte do jogo de cena do Estado e seus agentes, principalmente em ano de eleição. Portanto, a pequena possibilidade de tal efetivação está diretamente ligada à ampliação do nível de participação e mobilização dos servidores. Apenas com a base mobilizada em torno desta pauta é que ela pode adquirir alguma possibilidade de ser efetivamente discutida e aplicada pelo Governo. Assim, em resumo, a reestruturação de carreira só vai ser aplicada se os trabalhadores se mobilizarem e paralisarem suas atividades, pois a legislação eleitoral proíbe decisões que tenham impacto financeiro até 3 meses antes e 3 depois da eleição.

 

Desta forma, Cnasi-AN orienta que servidores e associações intensifiquem imediatamente a pressão político-parlamentar para apoio da proposta de reestruturação de carreiras, com realização de assembleias para tratar o tema, paralisações nos locais de trabalho, eleição de comissão de organização das ações locais e de representantes para participar de atividades em Brasília, etc. Obter apoio formal político-parlamentar por meio de ofício é essencial neste momento, mas sem a paralisação das nossas atividades qualquer luta pela reestruturação fica inviável no atual contexto.

 

A Diretoria da Cnasi-AN está à inteira disposição das associações e servidores para passar orientação,  envio de documentos, etc. E desde já avaliamos como extremamente necessária a a construção de PARALISAÇÃO NACIONAL das atividades no dia 5/4, data da próxima reunião no Ministério do Planejamento.

 

Fonte: Cnasi-AN

 
 

Página 4 de 134

Blogs das Regionais

Links Úteis

sindsepdfasseraincracutfassincracnasi_lutas