Ter, 19 de Março de 2019 18:14

SERVIDORES COBRAM INTERVENÇÃO NA SEDE DO INCRA NA PARAÍBA

Escrito por  Associação dos Servidores do Incra na Paraíba
Classifique este artigo
(0 votos)

Os servidores do Incra na Paraíba decidiram solicitar intervenção na Superintendência Regional do órgão no Estado, localizado na capital João Pessoa, durante assembleia realizada no dia 14 de março de 2019, após a interdição de boa parte do complexo onde fica a autarquia pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e uma série de desavenças com o superintendente regional, Francisco Rinaldo Maranhão de Figueiredo, que insinuou juntar os profissionais e equipamentos nos blocos ainda em funcionamento.

 

A sede regional do Incra/PB há alguns anos está sem estrutura física e material adequada para o funcionamento das atividades da autarquia, sendo que em uma fiscalização realizada pelo Ministério Público do Trabalho, no dia 8 de março, constatou uma série de irregularidades elétricas e estruturais que, segundo o MPT, oferecem risco aos trabalhadores. Entre os problemas identificados estão: salas com infiltrações, mofo, buracos no teto, rachaduras,Incra PB intervencao mar2019 ausência de lâmpadas, ligações elétricas irregulares, móveis danificados, processos mal guardados e veículos com pneus secos. Assim, o MPT fez interdição nos blocos B e C do complexo onde funciona o Incra/PB.

 

A interdição e assédio dos gestores aos servidores, tentando os oprimir para aceitar a piora nas condições de trabalho, levou à indignação de boa parte dos profissionais, que mantiveram contato com a Diretoria da CNASI-AN em busca de apoio. Então, a CNASI-AN, juntamente com a Assincra/PB, realizaram assembleia local, na qual se tomou a decisão de solicitar à Presidência do Incra a intervenção na Regional.

 

No documento elaborado pelos servidores há uma série de informações e avaliações sobre a situação. Segundo ele, a interdição dos blocos B e C atinge diretamente "62% da força de trabalho do Incra/PB, sem incluir nesse cômputo servidores terceirizados e estagiários".

 

O material traz uma série de 'considerandos', com destaque para "o clima de animosidade que já ocorria na Superintendência e que se acirrou após a interdição", bem como a "total falta de gestão e controle no uso indevido e inadequado dos equipamentos e veículos da Superintendência, com grande parte da frota sem condições satisfatórias de uso, com licenciamento atrasado e gastos com combustíveis em atividades não relacionadas aos trabalhos do Incra", além de "que está em curso investigação da Polícia Federal por supostas irregularidades ocorridas na contratação de empresas para prestação de serviços de apoio administrativo, inclusive com operação deflagrada em agosto de 2018, com mandados de busca e apreensão na sede da Superintendência e nas residências do superintendente e de outros chefes da gestão, amplamente divulgada pela imprensa local e que constrange os servidores e maculam a imagem da instituição perante a sociedade paraibana".

 

Confira AQUI a íntegra do documento da assembleia dos servidores.

 

Por conta deste posicionamento dos servidores do Incra/PB, a Diretoria da CNASI-AN encaminhou ofício à Presidência do Incra solicitando a Intervenção da regional paraibana.

 

A íntegra do ofício da CNASI-AN pode ser acessada AQUI.

 

Fonte: Cnasi-AN

Última modificação em Ter, 19 de Março de 2019 18:37

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Blogs das Regionais