O Encontro Estadual dos Servidores do Incra na Bahia permitiu que os profissionais lotados no estado tivessem acesso a informações detalhadas sobre a situação da Fassincra, o processo de negociação com o governo, bem como está a construção do plano de reestruturação da autarquia. Isso contribuiu para que importantes questionamentos fossem feitos pelos servidores aos palestrantes, bem como para si mesmos.

 

IMG_4315_2O concorrido evento teve início com uma apresentação de coral do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia (IRDEB) e fala de abertura da presidente da Associação dos Servidores do Incra na Bahia (Assincra/BA), Argentina Gonçalves, que destacou a importância do evento para a Associação e melhoria do nível de mobilização dos profissionais da superintendência baiana. O encontro foi realizado em Salvador (BA), em 12 de dezembro de 2011. O evento teve ainda fala do representanteIMG_4298_2 do Sintsef, Carlos Borges, também servidor do Incra/BA, que esclareceu a atuação do Sindicato nos últimos anos.

 

O representante do superintendente regional, Marcos Nery, no Encontro foi Valério Dorneles, que é chefe da Divisão de Desenvolvimento do Incra/BA. Nery estava em viagem na data do Encontro. Dorneles afirmou que existe a necessidade de adequação das atividades do Incra à demanda, tornando-o mais eficiente e adequando suas atividades à demanda. “Uma reestruturação boa é bem vinda”, afirmou.

 

IMG_4309_2O ex-superintendente do Incra e atualmente deputado estadual, Marcelino Galo, defendeu durante o evento uma reestruturação do Instituto para melhorá-lo, para que realize suas atividades com mais eficiência com destaque para a reforma agrária e regularização fundiária.

 

O evento teve a presença de dezenas de servidores e recebeu palestras da diretora executiva da Fassincra, Maria de Jesus Santana, que fez informes sobre a situação da Fundação. Jesus informou em primeira mão que teve fim a direção fiscal da ANS na Fassincra, restando agora o repasse de relatório final da situação da entidade. Já o diretor nacional da Cnasi, Reginaldo Aguiar, fez palestra sobre a proposta de reestruturação do Incra e a negociação remunerativa com o governo.

 

Confira abaixo divulgações locais sobre o Encontro na Bahia:

 

Iinforme_BA_dez_2011.pdf  

 

http://jornaldachapada.com.br/2011/12/12/bahia-servidores-do-incra-debatem-reestruturacao-do-orgao/

 

http://www.bocaonews.com.br/noticias/politica/politica/25558,servidores-do-incra-debatem-reestruturacao-do-orgao.html

 

http://www.politicalivre.com.br/2011/12/servidores-do-incraba-debatem-reestruturacao-do-orgao/

 

http://www.jornalbahiaonline.com.br/index.asp?noticia=16234

 

Fonte: Ascom Cnasi

Os servidores do INCRA do Amapá suspenderam as atividades durante todo o dia 28 de abril de 2012, uma quarta-feira. A decisão foi tomada com base na campanha salarial definida e defendida pela Confederação Nacional das Associações dos Servidores Incra (CNASI) e pela paraAPConfederação dos Trabalhadores no Serviço público Federa (Condsef) – entidade que abriga os sindicatos da categoria em todo o Brasil.

 

As pautas da paralisação foram adotadas em conjunto com os engenheiros agrônomos do órgão, filiados à Associação Nacional dos Engenheiros Agrônomos do Incra (ASSINAGRO). O esforço deamapa_paralis_abril_2012 unificar as ações das duas categorias de dentro do INCRA parte do pressuposto que poucos avanços foram alcançaram, pela falta de unidade.

 

A manifestação desta vez foi diferente. Em vez de cruzarem os braços apenas, os servidores decidiram discutir questões de interesse do órgão de da sociedade. Reunidos no auditório, eles discutiram sobre as amapa_paralis_2novas medidas de implementação de manejo florestal no Assentamentos e o combate à extração ilegal de madeira.

 

Também estivem presentes nas atividades os servidores da delegacia do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e a superintendente do INCRA, Neiva Nunes.

 

Fonte: Cnasi Norte / Amapá

A paralisação dos servidores do Incra no Sul do Pará, lotados em Marabá e nas unidades avançadas de Conceição do Araguaia e São Geraldo do Araguaia, foi total, ficando todas as atividades do órgão completamente inativas no dia 20 de março de 2012.MARABA_paralisa2_mar_2012

 

A decisão de parar as atividades foi tomada pela direção da Assera Sul do Pará e da representação da Assinagro na Superintendência, como forma de pressionar o governo a atender as reivindicações da categoria.

CONCEIO_paralisa2_mar_2012 

Os servidores defendem as reivindicações da pauta nacional, como equiparação remunerativa com MAPA, fortalecimento do Incra e promoção das Políticas de Reforma Agrária e Regularização Fundiária.

 

Na sede, em Marabá, não funcionou Gabinete, Procuradoria Federal Especializada, Obtenção, etc. Nem oSOGERALDO_paralisa_mar_2012 pessoal da limpeza ficou no prédio, segundo a direção da Assera Sul do Pará. “O QUE CALADO QUER NINGUÉM SABE O QUE É”, foi um dos lemas divulgados pelos organizadores da paralisação.

 

Fonte: Ascom Cnasi / Assera Sul do Pará

Os servidores do Incra no Piauí demonstraram durante evento na Capital Teresina, no dia 19 de dezembro de 2011,  que estão altamente indignados com o andamento das negociações remunerativas com o governo, o descaso com a Fassincra e o desrespeito da direção do Instituto ao realizar uma reestruturação do órgão sem participação de seus profissionais.

 

Os posicionamentos dos servidores piauienses tiveram unanimidade no sentido de apoiarem a equiparação remunerativa com o MAPA, fortalecimento da Fassincra e participação no Plano de Reestruturação do Incra.

 

As informações sobre a proposta de reestruturação do Incra e a negociação remunerativa com o governo foram repassadas pelo diretor nacional da Cnasi, Reginaldo Aguiar. Enquanto que a integrante do Conselho Deliberativo da Fassincra, Maria Cleuza Carneiro, deu informes sobre a situação da Fundação. Entre as informações prestadas por Cleuza está o fim a direção fiscal da ANS na Fassincra, restando agora o repasse de relatório final da situação da entidade.

 

Fonte: Ascom Cnasi

Durante o Encontro Estadual dos Servidores do Incra em Goiás ficou explícita a indignação dos profissionais da Superintendência goiana quanto aos problemas pelos quais passa a Fassincra, bem como à ausência de participação dos funcionários da autarquia no plano de reestruturação do órgão – realizado pela direção há vários meses.

 

IMG_0571_2Servidores da ativa e aposentados participantes do Encontro, que foi realizado dia 8 de dezembro de 2011, em Goiânia (GO), decidiram aderir às programações e atividades das entidades nacionais, como Cnasi e Condsef.

 

O evento, que teve a presença de dezenas de servidores, recebeu palestras da presidente do Conselho Deliberativo da Fassincra, Maria Jurgleide Castro, que fez informes sobre a situação da Fundação. Quanto aos informes sobre a proposta de reestruturação do Incra e a negociação remunerativa com o governo, eles foram repassados durante a palestra do diretor nacional da Cnasi, Reginaldo Aguiar. O Sindsep-GO foi representado por seu presidente Ademar Rodrigues.

 

Fonte: Ascom Cnasi

Desde o dia 28 de novembro de 2011 a Associação dos Servidores do Incra em Pernambuco (Assincra/PE) tem nova diretoria colegiada. Foi nesta data que tomaram posse os integrantes da chapa eleita.

 

Entre os pontos defendidos no programa da chapa estão: fortalecer as campanhas salariais dos servidores públicos federais – CONDSEF, CUT e CNASI; realizar seminários para discutir temas e questões da reforma agrária; realizar convênios de benefícios para os associados.

 

Confira abaixo a lista com nomes dos integrantes da Assincra/PE, bem como todo o programa da Chapa 1.

Diretoria__ASSINCRA-PE.jpg 

Fonte: Ascom Cnasi


Servidores da Superintendência Regional do Incra em Belém (PA) paralisaram suas atividades na manhã desta quinta-feira (15/03) para marcar o Dia Nacional de Lutas por um serviço público de qualidade. A paralisação também fez parte do lançamento, no Pará, da campanha salarial unificada dos servidores públicos federais, coordenada pelo sindicato estadual da categoria, Sintsep-PA.

 

Incra_SR01_paralisa150312_0992_2A Campanha Salarial 2012 teve início em fevereiro com um ato em Brasília, conforme decisão tomada pelo Fórum Nacional dos Servidores Públicos Federais, que também decidiu pela mobilização nos órgãos regionais ao longo da primeira quinzena de março. O objetivo é fazer avançar as negociações com o governo.

 

Mobilização pelas bases

 

Durante toda a manhã da quinta-feira, os servidores do Incra em Belém se concentraram nos portões da sede da autarquia regional para discutir a conjuntura nacional e os rumos da campanha salarial, além de acompanhar a mobilização em outros órgãos federais no Pará e no Brasil. Plano Collor e a questão dos "28%" também fizeram parte dos debates com os representantes do Sintsep-PA.

 

Cedício Vasconcellos, Coordenador-geral do Sintsep, destacou que há dois anos os servidores federais estão sem  reajuste salarial e que as mesas de negociações foram esvaziadas pelo governo com a edição dos Decretos 7.674 e 7.675, em fevereiro deste ano, que retiram os poderes da Secretaria do Ministério do Planejamento e Gestão (MPOG) para negociar coletivamente com as entidades dos servidores públicos federais. O Coordenador do Sintsep conclamou os servidores a mobilizarem em suas bases, principal meio para conquistar um salário digno e melhores condições de trabalho.

 

Greve geral

 

Como encaminhamento prático, os servidores decidiram pela criação de uma comissão responsável pela organização do movimento paredista, a partir de abril, em adesão ao movimento nacional, caso o governo não atenda as reinvidicações centrais da categoria. Dentre elas, a criação de uma política salarial permanente para o setor público e o reajuste de benefícios, como o auxílio-alimentação; como reivindicação específica dos servidores do Incra está a equiparação salarial com o Ministério da Agricultura.

 

No dia 28 de março, as 30 entidades que compõem o Fórum Nacional pretendem reunir em Brasília cerca de 20 mil servidores de todo o Brasil para participar de uma marcha, para fazer o governo encarar com seriedade as reivindicações da categoria.

 

Fonte: Ascom Assincra/PA

Nesta segunda-feira (5/12), os servidores do INCRA do Amapá deram continuidade ao ciclo de Paralisações Nacionais como medida para sinalizar ao governo que estão atentos a reestruturação planejada para o órgão. Os servidores reivindicam participação de suas representações nas decisões a serem implementadas. Segundo os servidores, nada se constrói de cima para baixo, mas sim da base.

 

IMG_27151_2As paralisações compõem um pacote de decisões tomadas pelos servidores no dia 14 de outubro durante plenária da Condsef/Cnasi em Brasília. A mobilização no Amapá neste dia 05 foi a segunda no Estado. A primeira se realizou no dia 07 de novembro.

 

Os servidores exigem ainda a equiparação salarial e plano de carreira com os fiscais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA. Aliás, esta é a principal demanda neste momento. A categoria não admite tratamento salarial escandalosamente desigual no âmbito do serviço público federal. Os servidores do Amapá planejam ainda um ciclo de debate para discutir situações agrárias específicas regionais.

 

A paralisação coincidiu com a posse da nova superintendente da SR-21, Neiva Nunes. Na ocasião da cerimônia o diretor regional da Cnasi, Geovane Grangeiro, interviu a fim de passar o recado de que a mobilização dos servidores já estivera anteriormente programada e que a coincidência das duas programações não deveria prejudicar a iniciativa que reivindica melhorias à categoria.

 

O ato dos servidores contou ainda com o apoio do SINDSEP-AP, que enviou para o local um carro-som para dar suporte ao movimento.

 

Fonte: Ascom Cnasi Regional Norte

A paralisação das atividades no Incra no Rio de Janeiro foi agitada, pois em vez de apenas ficarem sem realizarem seus afazerem cotidianos os servidores mobilizados confeccionaram documento no qual diversas reivindicações da categoria são apresentadas.

 

IMG_04761_2No documento está o resultado dos debates dos servidores na paralisação, entregue ao Superintendente substituto da Regional do RJ, Fernando Scott, na tarde desta segunda-feira (5/12), na sede da autarquia regional, na capital carioca. Foi escolhido um grupo para protocolizar o documento junto ao Superintendente, momento registrado em fotografias pelos servidores.

 

Ficou deliberado ainda fortalecer o calendário nacional de paralisação às segundas-feiras, ficando marcado novo encontro para o dia 12 de dezembro para avaliar os desdobramentos da reunião desta terça-feira (6/12), no MPOG, em Brasília, com as direções da Condsef e Cnasi, bem como a resposta do Presidente do INCRA sobre a reestruturação e a Fassincra.

 

O Superintendente se comprometeu em enviar par o presidente do INCRA o respectivo documento por meio de memorando ainda nesta segunda-feira. Os servidores solicitaram ainda que a Cnasi faça gestão para uma resposta da Presidência do INCRA às reivindicações.

 

Confira abaixo a íntegra do documento:

Paralisa_RJ_5.12.2011.pdf

 

Fonte: Assincra/RJ

O Encontro Estadual dos Servidores do Incra no Rio de Janeiro agitou as dependência da superintendência, pela participação de profissionais da ativa e aposentados, bem como pelo engajamento na luta por melhorias remunerativas, participação na confecção do plano de reestruturação da autarquia e fortalecimento da Fassincra.

 

Rio2_2O evento, ocorrido em 29 de novembro de 2011, teve palestras do diretor da Cnasi, Acácio Leite, e da presidente do Conselho Deliberativo da Fassincra, Jurgleide Castro. A organização e apoio do evento teve ajuda da também diretora da Cnasi, Rosane Silva, servidora lotada no Incra/RJ.

 

Os servidores deliberaram por aderir à paralisação nacional da categoria, agendada para todas as segundas-feira de cada mês – ficando a próxima (dia 5 de dezembro de 2011) definida –, repúdio aos assédios morais no Incra, fortalecimento da Fassincra e reivindicação da apresentação do plano de reestruturação da autarquia (atualmente em construção pela direção do Incra).

 

Uma peculiaridade no evento foi a massiva participação de aposentados no evento. Normal para um estado que tem mais de mil servidores do Incra aposentados.

 

Fonte: Ascom Cnasi

Página 32 de 34

Blogs das Regionais