Blog Maranhão

Blog Maranhão (11)

O superintendente regional do Incra no Maranhão, Zé Carlos, aproveitou a participação no "I Encontro Planejamento da Diretoria de Desenvolvimento e Consolidação de Projetos de Assentamento”, de 19 a 21 de fevereiro, em Brasília/DF para se reunir com o ministro do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (MDA), Paulo Teixeira, e entregar-lhe o documento construído pelos servidores da autarquia no Estado defendendo a reestruturação de carreiras. O documento foi assinado pelos representantes da Assincra/MA e do SindPFA/MA, além do próprio superintendente regional.

Zé Carlos - que foi deputado estadual e federal -, reuniu-se com o ministro para tratar de assuntos sobre o desenvolvimento agrário no estado e outros temas relacionados, aproveitando o encontro para repassar a Teixeira o documento dos servidores construído no processo de mobilização da categoria. A mobilização dos servidores está dentro das ações do ato nacional da campanha “SEGUNDA-FEIRA DE LUTA”, quando profissionais do Incra, MDA e Secretaria do Patrimônio da União (SPU) realizam manifestação em diversos estados do país em defesa da reestruturação de carreiras, fortalecimento institucional e promoção das políticas públicas.

O superintendente no Maranhão, em seu trajeto político, tem forte atuação em ações e projetos relacionados ao direito à habitação, a expansão e melhoria da educação do campo, a valorização da agricultura familiar, o combate à corrupção, políticas públicas voltadas às comunidades quilombolas e aos povos indígenas.

Com a experiência e conexões políticas que tem, Zé Carlos é apontado no Incra/MA como um forte aliado na busca de apoio político-parlamentar às pautas da categoria e ele se comprometeu com a comissão da Regional em ajudar nas articulações.

Fonte: Ascom Cnasi-AN

No Maranhão, duas unidades do Incra participaram da terceira edição do ato nacional da campanha “SEGUNDA-FEIRA DE LUTA”, realizado na data de 19/02/2024 – a Superintendência Regional em São Luís e a Unidade Avançada de Imperatriz (que é uma das maiores do Brasil, superando algumas superintendências regionais da autarquia pelo país em número de assentamentos e famílias assentadas).

Servidores lotados tanto em São Luís como em Imperatriz aproveitaram a data para debaterem as pautas da categoria, bem como a situação de carência que a autarquia enfrenta no Estado para atender a enorme quantidade de assentamentos e famílias assentadas.

Em São Luís, uma articulação conjunta entre a gestão local do Incra e as entidades representativas organizadoras da mobilização, como parte das atividades fizeram a elaboração de um documento com uma série de informações e esclarecimentos das dificuldades e deficiências do órgão no Estado nas áreas de gestão, recursos humanos, condições de trabalho, orçamento e valorização de seus profissionais – como a reestruturação de carreiras.

O documento foi assinado pelos representantes da Assincra/MA e do SindPFA/MA, além do superintendente regional, que o levou pra Brasília e será entregue em mãos do ministro do MDA.

Confira AQUI o conteúdo do documento produzido no Maranhão.

Veja AQUI mais informações sobre a terceira edição do ato nacional.

Fonte: Ascom Cnasi-AN

Integrantes das diretorias da Assincra/MA e da Cnasi-Associação Nacional fizeram reunião com servidores do Incra no Maranhão, quando houve repasse de informações da atuação das entidades local e nacional a cerca da defesa da categoria, bem como diversas análises de conjunturas dos participantes sobre aspectos relacionados ao governo anterior e o eleito.

Durante o evento - realizado em 12 de dezembro de 2022 na sede da Superintendência Regional do Incra no Maranhão -, o diretor da Cnasi-AN, Reginaldo Marcos Aguiar, em passagem por São Luís, fez uma série de relatos da atuação da entidade nacional nos quatro anos do governo que estava encerrando a gestão, relacionadas às dificuldades de relacionamentos e articulação com os gestores, dos prejuízos e retrocessos no período, dos assédios e dos problemas de gestão ocorridos na autarquia, prejudicando milhões de pessoas dos públicos atendidos pelo órgão e, consequentemente, travando as políticas públicas executadas pelo órgão.

O diretor da Cnasi-AN ainda repassou informações de bastidores, das reuniões, conversações e articulações da entidade nacional com o então Gabinete de Transição de Governo recentemente eleito, no que se refere aos assuntos das questões agrárias, do futuro do Incra e de seus profissionais.

A diretoria da Assincra/MA também fez relatos e análises de conjunturas de aspectos locais nos quatro anos do governo que estava encerrando a gestão, contextualizando a situação nacional com os prejuízos aos públicos, políticas públicas e servidores.

Os participantes aproveitaram o evento para o repasse de informações e análises de conjunturas, questionamentos aos integrantes das entidades sobre diversos aspectos – com destaque para a reestruturação de carreiras, melhorias das condições de trabalho e gestão qualificada.

Fonte: Assincra/MA e Cnasi-AN

Uma nova Diretoria da Associação dos Servidores do Incra no Maranhão (Assincra/MA) foi eleita para gestão 2022 / 2024, sendo escolhidos aos cargos pessoas com atuação na promoção das políticas públicas executadas pelo órgão, além da valorização do mesmo e histórico de defesa da categoria.

Em assembleia realizada na manhã de segunda-feira (18/06), os servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) do Maranhão decidiram iniciar greve por tempo indeterminado. A decisão foi tomada pela categoria reunida na sede estadual do órgão, no bairro Anil, quando era prevista a paralisação de apenas um dia, seguindo o calendário nacional de indicativo de greve unificada por servidores de diversas instituições federais. Também paralisaram as atividades, durante a segunda-feira, funcionários do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), do Ministério da Saúde (MS) e da Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

 

De acordo com a vice-presidente da Associação dos Servidores do Incra (Assincra), Hulda Rocha e Silva, os principais problemas enfrentados pela categoria são a insuficiência de pessoal, além de recursos financeiros e estruturais voltados à implementação de políticas de reforma agrária em todo o país. “A reforma agrária não é prioridade do governo federal”, disse ela, destacando que o discurso oficial de combate à miséria e à fome não se realiza na prática justamente por essas condições insuficientes, sendo necessários a realização de concurso para a admissão de mais pessoal e o aumento de investimentos.

 

Acesse a íntegra da reportagem no link abaixo:

http://www.oimparcial.com.br/app/noticia/urbano/2012/06/19/interna_urbano,117491/servidores-do-incra-iniciam-greve-por-tempo-indeterminado.shtml

 

Fonte: O Imparcial

Em atendimento do chamado nacional da CNASI e Assinagro, os servidores da Unidade Avançada de Imperatriz, no Maranhão, mostraram mais uma vez que não aceitam as condições impostas pelo governo. É consenso que a atual situação que se encontra o INCRA, como um todo, instituição e servidores,  se deve a falta de comprometimento do governo federal com as causas agrárias.

 

MA_impera_2A_14.05.2012Este movimento do dia 14 de maio obteve uma participarão maior por parte dos servidores, causada principalmente pela boa recepção da primeira paralisação – realizada no dia 25 de abril último. Quase unanimamente, servidores novos na casa, bem como outros com mais de 35 anos de INCRA, resolveram cruzar os braços e externar o seu descontentamento.

 

Mais uma vez a Unidade Avançada de Imperatriz fechou suas portas, sendo distribuído para os usuários panfletos explicando o descalabro atual do INCRA e MDA nos dias atuais.  Na parte da manhã, foi discutido os vários problemas da Unidade, como: a falta de recursos financeiros para dar continuidade aos trabalhos legalmente atribuídos a esta autarquia; a enorme quantidadeMA_imperaB_14.05.2012 de aposentadorias que esta unidade administrativa vem enfrentando e que irão ocorrer em um futuro próximo, o que ocasionará fatalmente no fechamento da mesma, por absoluta falta de mão de obra.

 

Fora ainda discutido também a publicação no diário oficial, neste 14/05, do irrisório aumento salarial para julho de 2012, causando grande indignação por parte dos presentes.

 

A importância do INCRA na região foi destacado na imprensa local. Isso, porque a quase totalidade das mídias televisadas vieram cobrir a paralisação. As TVs Globo, Record e Bandeirantes divulgaram para a comunidade sul maranhense as  reivindicações dos servidores, externando a situação de penúria que atualmente passa este órgão agrário.

 

Confira algumas matérias nos links abaixo:

http://g1.globo.com/ma/maranhao/noticia/2012/05/servidores-do-incra-paralisam-atividades-em-imperatriz.html

http://www.jornalcorreiopopular.com/?id=20267

 

Fonte: Assincra/Imperatriz

Os servidores do Incra no estado do Maranhão – seguindo o calendário de mobilização definido em plenária da CNASI, em Brasília, no dia 26 de abril de 2012 –, realizaram evento no auditório da Superintendência Regional.

 

MA_DSC03050_3Durante a manhã do dia sete de maio de 2012, os servidores permaneceram reunidos em um café da manhã, tradicionalmente organizado pela ASSINCRA-MA e que serviu para um momento de mobilização e debates.

 

Na programação constaram as boas vindas aos novos servidores; repasse de informações sobre a situação da FASSINCRA e negociações salariais; entrega de documento da ASSINCRA-MA com demandas dos servidores para melhorias do órgão e fala do superintendente regional do Incra no Maranhão, José Inácio, e sua equipe sobre o andamento das ações da autarquia no estado.

 

Fonte: Assincra/MA

No dia 25 de abril de 2012 os servidores do INCRA no estado do Maranhão realizaram paralisação de suas atividades integrando um movimento nacional, no qual todos os órgãos públicos da esfera federal realizaram eventos desta natureza em todo o Brasil. Os servidores do INCRA no maranhão afirmaram no ato estarem insatisfeitos com a postura do governo frente às dificuldades que o órgão está enfrentando. Os mara_paralisa_25abril_12profissionais, além de estarem com seus salários extremamente defasados, enfrentam problemas estruturais dos mais variados. Esse quadro se agrava ainda mais com o corte substancial no orçamento anunciado para este ano, o que inviabilizará as atividades do INCRA.

 

Durante a paralisação no INCRA do Maranhão foram realizadas palestras de servidores representando alguns setores dando informes sobre suas atividades e as dificuldades enfrentadas na execução das mesmas, mostrando a importância do órgão na execução da Política de Reforma Agrária. A adesão à paralisação das atividades foi total, e os servidores permaneceram em vigília em frente ao órgão durante todo o dia.

 

O evento teve apoio do SINDSEP/MA por meio de carro de som, faixas e alimentação. “A avaliação do evento foi muito positiva, tendo em vista que o objetivo maior foi atingido, afirmou Hulda Silva, da Assincra/MA.

 

 

UA de Imperatriz

 

Alinhados com a decisão de paralisação dos colegas da Superintendência Estadual do Maranhão, os servidores da Unidade Avançada (UA) de Imperatriz também resolveram parar suas atividades no dia 25/04/12. “A adesão foi total, já que todos os servidores encontram-se insatisfeitos com a extrema defasagem salarial, aliado aos pesados cortes orçamentários que o INCRA sofreu neste ano de 2012, que se reflete nas difíceisfoto_02_2 condições de trabalho no âmbito das Unidades Avançadas, já que somos a última fronteira desta autarquia federal”, disse o servidor Vanderson Michell.

 

O quadro se agrava inda mais com a política do INCRA de não disponibilizar vagas nos concursos, para lotação nas Unidades Avançadas, pois acaba não ocorrendo renovação de servidores. Nos últimos dois anos, se aposentaram seis servidores, em breve, mais 10 já se encontram aptos a também pedirem aposentadoria.

 

O impacto da paralisação foi grande para a cidade de Imperatriz , bem como a região como um todo. Diversos órgãos da imprensa televisada cobriram a nossa manifestação , divulgando para toda a sociedade a difícil situação que o INCRA passa atualmente.

 

Fonte: Assincra/MA e servidores da UA Imperatriz

Servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) realizaram nesta quarta-feira (30/11), paralisação de suas atividades com o objetivo de chamar a atenção do Governo Federal e da sociedade para os problemas que atualmente dificultam a atuação do órgão na execução da política de reforma agrária.

 

Durante toda a manhã os servidores ficaram concentrados na entrada do prédio e não houve expediente no órgão. O movimento dos servidores contou com o apoio do Movimento das Comunidades Quilombolas (Moquibom) que participou da manifestação com falas de apoio e com apresentação de tambor de crioula.

 

Saiba mais no link abaixo

http://www.suacidade.com/servidores-do-incra-fazem-paralisa%C3%A7%C3%A3o-na-manh%C3%A3-desta-quarta-feira-30

 

Fonte: Suacidade.com

Aconteceu no último dia 18/11, no auditório do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA/MA), um encontro dos servidores do órgão, da diretoria da Fassincra, da Condsef e do Sindsep/MA com o diretor da Confederação Nacional das Associações dos Servidores do INCRA (CNASI), Reginaldo Aguiar.

 

O encontro, que teve como lema: "Valorização dos servidores do INCRA: uma luta de 40 anos", teve como principais temas tratados a negociação salarial com o governo, a reestruturação do INCRA, a reestruturação do plano FASSINCRA-SAÚDE e o fortalecimento das Assincras e Asseras.

 

Participaram da mesa de abertura o presidente da CNASI, Reginaldo Aguiar; o presidente da ASSINCRA, Rui dos Santos; o superintendente do INCRA no Maranhão, José Inácio Rodrigues; a Diretora da FASSINCRA, Jurgleide Castro; e os diretores do Sindsep/MA, Valter Cézar (Secretaria Geral) que representou a Condsef no evento e Manoel Cecílio (Secretaria de Organização e Política Sindical).

 

Confira a íntegra do material no link abaixo

http://www.sindsep.org.br/comunicacao/diario/diario2020.pdf

 

Fonte: Ascom Sindsep/MA