Blog Mato Grosso

Blog Mato Grosso (12)

Em defesa da reestruturação de carreiras, dentro da campanha “SEGUNDA-FEIRA DE LUTA”, no estado de Mato Grosso a luta da categoria pelo atendimento das reivindicações tem mantido as atividades de mobilização e debate interno, numa junção de forças e profissionais do Incra para possam pressionar o Governo.

E nessa linha de ação, o Sindsep-MT se reuniu, na manhã do dia 29/04/2024, com servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) de Mato Grosso, em frente a sua sede no Centro Político Administrativo, para debater a reestruturação das carreiras, repassar informes e programar ações futuras.

Na atividade foram passados alguns informes referentes à apresentação da proposta por Cnasi-AN e Condsef pela servidora aposentada e Diretora do SINDSEP/MT, Sílvia Cleia, que reforçou a importância de se continuar com a mobilização na Superintendência Regional. Silvia ainda falou sobre a reunião da mesa Setorial do Incra/MDA, do dia 2 de maio no período da tarde.

O ato local contou com a participação de 22 servidores ativos e aposentados, que ao final se juntaram para a realização de registros fotográficos empunhando faixa em defesa de suas reivindicações.

Fonte: Sindsep-MT

A campanha “SEGUNDA-FEIRA DE LUTA” em defesa da reestruturação de carreiras no estado de Mato Grosso tem mantido a performance de junção de forças e profissionais do Incra para realizar atos que possam pressionar o Governo a atender as reivindicações da categoria.

Assim, o Sindicato dos Servidores Público Federais no Estado (Sindsep-MT) se reuniu, na manhã do dia 22/04/2024, com servidores do Incra no estado, em frente a sua sede regional no Centro Político Administrativo, para debater a reestruturação das carreiras, repassar informes e programar ações futuras.

O Ato contou com a participação de 19 servidores ativos e aposentados. Foi passado alguns informes referentes à apresentação da proposta pela Cnasi-AN e Condsef, encaminhada ao MGI.

Em Mato Grosso, o Sindicato dos Servidores Público Federais no Estado (Sindsep-MT) se reuniu, na manhã do dia 15/04/2024, com servidores do Incra, em frente a sua sede no Centro Político Administrativo na capital Cuiabá, para debater a reestruturação das carreiras, repassar informes e programar ações futuras.

O Ato contou com a participação de 20 servidores ativos e aposentados, além de lideranças representantes da Assincra/MT e Cnasi-AN. A servidora Divina de Oliveira Santos passou alguns informes referente a reunião do dia 12/4, quando houve a apresentação de atualização da proposta pela Cnasi-AN e Condsef, encaminhada ao MGI.

Fernando Pivetta, representante do Sindsep-MT, fez uso da palavra e falou da atual conjuntura dos servidores públicos Federais e da importância da nossa mobilização.

O servidor José Neto também fez uso da palavra e falou da reunião que aconteceu dia 10 de abril, quando o Governo sinalizou para o aumento dos benefícios do vale alimentação e dos auxílios creche e saúde aos servidores da ativa. Fernando Pivetta, ainda fez contato com um representante da CUT e um deputado estadual da base do Governo para estarem presentes na próxima reunião dia 22 de abril.

O Sindsep-MT se reuniu na manhã de 09/04/2024, com servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Mato Grosso, em frente a sua sede regional, no Centro Político Administrativo da capital Cuiabá, para debater a reestruturação das carreiras, repassar informes e programar as próximas ações.

O Ato contou com a participação de 35 servidores, ativos e aposentados. A servidora aposentada e diretora do Sindsep-MT, Silvia Cléia Ferreira, fez os informes e depois passou a palavra para os demais.

Alguns servidores fizeram uso da palavra pra fazer análises e posicionamento sobre a situação do Incra e o processo de negociação com o Governo. Sobre novas ações, após diálogo entre os presentes ficou confirmado novo ato dia 15/04, segunda-feira seguinte.

Silvia solicitou aos presentes alguém que poderia ficar à frente do próximo ato, pois a mesma estará ausente, em viagem a Brasília. A servidora Divina Santos se comprometeu a coordenar a ação em Mato Grosso.

Também foi lançado o desafio de que no próximo ato cada servidor possa convidar e levar outro servidor que ainda não participou das atividades no Estado.

Fonte: Sindsep-MT

O Sindsep-MT se reuniu, na data de 02/04/2024, às 9 horas, com servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Mato Grosso, em frente a sua sede regional, no Centro Político Administrativo, para debater a reestruturação das carreiras, informes da reunião do dia 28/03 do DARA / Condesf, Cnasi-AN / MGI.

O Ato contou com a participação de 28 servidores, ativos e aposentados, além do Superintendente Regional.

O presidente do Sindsep-MT, Carlos Alberto de Almeida, fez os informes junto com a diretora Sindsep-MT, Silvia Cleia Aires, e depois passou a palavra aos demais.

O superintendente do Incra/MT, Edtânio Oliveira, fez uso da palavra, falando da importância da mobilização e dando apoio aos servidores.

Ficou decidido buscar apoio dos parlamentares de MT, inclusive conseguir a participação de algum deles no próximo Ato, que será no dia 09/05, terça feira, pois dia 08 é feriado municipal, aniversário de Cuiabá.

Fonte: Sindsep-MT

Sindicato dos Servidores Públicos Federais de Mato Grosso (Sindsep-MT) e servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Estado reuniram-se na manhã da data de 25/3/2024, na sede da autarquia em Cuiabá, para a realização da primeira mobilização da categoria, dentro da campanha “SEGUNDA-FEIRA DE LUTA” que defende a reestruturação de carreiras.

Embora tenha sido a primeira mobilização da categoria no Estado dentro da campanha, na mesma data em que o ação nacional completa dois meses (oito segundas-feiras de ações ininterruptas por diversos estados do país), o ato em Mato Grosso se reverte de um feito grandioso, pois a sede do Incra está fechada há muitos meses, com boa parte dos seus profissionais em trabalho virtual. Assim, a decisão de realizar o ato na sede fechada do Incra e seus servidores em teletrabalho mostra um grande esforço das lideranças no Estado e dos servidores mais dedicados à categoria.

Lembrando que Pará, Maranhão e Mato Grosso respondem por cerca de 60 porcento das ações do Incra e ao se permitir o fechamento da sede do último certamente um percentual grande de atividades do órgão deixa de ser feita ou é realizada de maneira precária.

Assim, em Mato Grosso, na frente da sede do Incra no Centro Político Administrativo, lideranças e servidores reuniram-se para debater a reestruturação das carreiras, e também informar da reunião do dia 14/03/2024 da Condsef / DARA e Cnasi-AN com o MGI.

O Ato contou com a participação de 36 servidores – entre ativos e aposentados -, e ficou acertado no grupo de continuar com as mobilizações e realizar uma nova manifestação na data de 02/04/2024.

Fonte: Cnasi-AN

 

A falta de condições de trabalho é uma triste e cruel realidade em boa parte dos prédios do Incra por todo o país – com destaque para as superintendências regionais de São Paulo, Paraíba e Mato Grosso do Sul que vão desde a interdição (total e parcial) ao precário funcionamento elétrico, de dados, hidráulico, higiênico, condicionamento de ar, viaturas, etc. Em Mato Grosso a situação também é muito precária em todos os aspectos e isso foi denunciado no debate que a CNASI-ASSOCIAÇÃO NACIONAL realizou na sede regional em Cuiabá, em parceria com a Assincra/MT e o Sindicato dos Servidores Públicos Federais em Mato Grosso (Sindsep-MT).

A decisão dos servidores do Incra em Mato Grosso de deflagraram greve por tempo indeterminado tem ganhado destaque na imprensa do Estado e repercutido no meio político, inclusive em Brasília. Isso, porque desde o dia 1º de junho de 2015, quando se iniciou a greve, os serviços prestados pela autarquia que já vinham deficitários param de vez - o que tem irritado agricultores familiares e grandes produtores rurais.

A falta de gestão qualificada e orçamento adequado para suprir as necessidades básicas do Incra no Mato Grosso tem obrigado os dedicados servidores do Incra a pagarem por serviços de limpeza e a comprarem materiais básicos, como papel higiênico e de impressão, água potável, copo descartável, além de toner para imprimir documentos e relatórios essenciais para a autarquia no Estado.

A greve dos cerca de 300 servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), marcada para ter início nesta quinta-feira (21/06) não ameaça a retirada das mais de 220 famílias do Movimento Sem Terra (MST) que se encontram acampadas há três dias na BR 364 nas proximidades de Cáceres (a 225 km de Cuiabá).

 

De acordo com José Vieira, representante do MST, a paralisação dos servidores não implicará na cessão das atividades realizadas pelo movimento. Para ele, a luta dos servidores do Incra é tão legítima quanto a deles e por isso, deve ser respeitada. Mas isso não significa que o MST abandonará o desbloqueio, mesmo que as reivindicações solicitadas demorem a ser atendidas, em decorrência da greve.

 

Acesse a íntegra da reportagem no link abaixo:

http://www.cenariomt.com.br/noticia.asp?cod=206696&codDep=3

 

Fonte: Cenário MT