Blogs

No Paraná a paralisação conjunta (ASSINGRO, ASSINCRA/PR e servidores do MDA) foi completa nesta segunda-feira (14/05), pois seguiram o calendário nacional da campanha salarial. Pela manhã os servidores se concentraram em frente ao prédio do Incra, sendo que naPR_DSC01066_2parte da tarde realizaram assembléia para discutir a campanha salarial e outros assuntos de interesse.

 

Ficou aprovado na assembleia que:

1. A manutenção das paralisações conjuntas previstas para os dias 17 e 21/05/2012 e a disposição para greve caso não haja resultados positivos até o dia 31/05/2012;

2. que se inclua enfaticamente nos documentos conjuntos o indicativo de greve para o INCRA, pois na pauta para o encontro nacional das entidades do INCRA este assunto não consta da ordem do dia;

3. discordância da sugestão feita pelas direções nacionais da CNASI, ASSINAGRO e ASSEMDA que recomendam a transferência do Encontro Nacional das Entidades Representativas do INCRA e MDA do dia 21/05 para 04/06. Os presentes consideram que é necessário a manutenção da reunião antes da reunião do dia 31/05 com o MPOG. A juntificativa por tal posição se deve entre outros aos seguintes motivos:

- não podemos ficar a reboque da agenda do MPOG que historicamente tem enrolado os servidores."Estamos tentando negociar com o MPOG há vários anos sem sucesso e prorrogar o encontro das entidades significa perder tempo na organização da possibilidade de greve;

- o MPOG já conhece nossas reivindicações;

- há necessidade urgente de preparar a nossa luta conjunta independente do resultado da reunião do dia 31/05 com o MPOG. Realizar o encontro apenas no dia 04/06 é muito tarde para, se for necessário, iniciar um processo de organização de greve,  já que estamos em ano eleitoral e ficará difícil articular com parlamentares no período.

 

Paralisação do dia 25 de abril

 

No dia 25 de abril, os servidores do Paraná se concentraram em frente ao prédio do Incra, em Curitiba, e em seguida participaram da passeata no Centro da cidade, junto com os servidores federais da UFPR (professores e funcionários), do IBGE, do INMETRO, da UTFPR, do Hospital de Clínicas e outros órgãos. O movimento teve boa participação e repercussão na mídia local.

 

O representante dos Servidores do Incra no Paraná, se pronunciou sobre as reivindicações da categoria. Durante a tarde os servidores continuaram a paralisação, se concentrando na frente do prédio do INCRA e após participaram de uma reunião para debate do movimento.

 

Dia 5 de março

 

A adesão ao movimento de paralisação no Paraná, no dia 5 de abril de 2012, ultrapassou 85% dos servidores, sendo que houve a participação de lideranças dos quilombolas e do MST. No decorrer do dia, diversos órgãos da imprensa do Estado compareceram, inclusive três canais de televisão e rádios locais, divulgando notas sobre a reivindicação dos servidores, fazendo entrevistas e transmissão radiofônica ao vivo sobre o movimento. (Material atualizado às 17h58min, de 24.05.2012)

 

Fonte: Assincra/PR e Assinagro/PR

Em atendimento do chamado nacional da CNASI e Assinagro, os servidores da Unidade Avançada de Imperatriz, no Maranhão, mostraram mais uma vez que não aceitam as condições impostas pelo governo. É consenso que a atual situação que se encontra o INCRA, como um todo, instituição e servidores,  se deve a falta de comprometimento do governo federal com as causas agrárias.

 

MA_impera_2A_14.05.2012Este movimento do dia 14 de maio obteve uma participarão maior por parte dos servidores, causada principalmente pela boa recepção da primeira paralisação – realizada no dia 25 de abril último. Quase unanimamente, servidores novos na casa, bem como outros com mais de 35 anos de INCRA, resolveram cruzar os braços e externar o seu descontentamento.

 

Mais uma vez a Unidade Avançada de Imperatriz fechou suas portas, sendo distribuído para os usuários panfletos explicando o descalabro atual do INCRA e MDA nos dias atuais.  Na parte da manhã, foi discutido os vários problemas da Unidade, como: a falta de recursos financeiros para dar continuidade aos trabalhos legalmente atribuídos a esta autarquia; a enorme quantidadeMA_imperaB_14.05.2012 de aposentadorias que esta unidade administrativa vem enfrentando e que irão ocorrer em um futuro próximo, o que ocasionará fatalmente no fechamento da mesma, por absoluta falta de mão de obra.

 

Fora ainda discutido também a publicação no diário oficial, neste 14/05, do irrisório aumento salarial para julho de 2012, causando grande indignação por parte dos presentes.

 

A importância do INCRA na região foi destacado na imprensa local. Isso, porque a quase totalidade das mídias televisadas vieram cobrir a paralisação. As TVs Globo, Record e Bandeirantes divulgaram para a comunidade sul maranhense as  reivindicações dos servidores, externando a situação de penúria que atualmente passa este órgão agrário.

 

Confira algumas matérias nos links abaixo:

http://g1.globo.com/ma/maranhao/noticia/2012/05/servidores-do-incra-paralisam-atividades-em-imperatriz.html

http://www.jornalcorreiopopular.com/?id=20267

 

Fonte: Assincra/Imperatriz

Em Santa Catarina não houve paralisação na segunda-feira (14/05), mas o Comitê de Mobilização convocou os servidores a participar dos Atos que acontecerão nos dias 17/05, 21/05 e 04/06. A iniciativa conjunta busca ampliar a pressão sobre o Governo para que atenda o pleito dos servidores.

 

No dia 17/05 – Dia Nacional de Luta com Paralisação – os servidores do INCRA se unirão aos servidores públicos federais em protesto ao descompromisso do Governo com o serviço público federal. Para o Ato do dia 21/05 está sendo organizando uma mobilização em frente ao INCRA, com fornecimento de alimentos produzidos pelo Programa de Reforma Agrária e esclarecimento à sociedade sobre o desmanche do INCRA e a conjuntura em que se encontram os servidores públicos.

 

As articulações estão sendo feitas com as Cooperativas agrícolas da Reforma Agrária, com a mídia local, SINTRAFESC, movimentos sociais, parlamentares, entre outras organizações. No dia 04/06, os servidores do INCRA e MDA participarão de uma Plenária Nacional conjunta para avaliar a proposta que o Governo (MPOG) deve apresentar na mesa de 31/05.

 

Confira abaixo a íntegra do Informativo Nº 2 do Comitê de Mobilização do Incra/SC

Informativo_N_2_-_Comite_de_Mobilizacao_SC.pdf 

 

Fonte: Ascom Cnasi

O INCRA no Amapá acordou de portas fechadas para o atendimento ao público nesta segunda-feira (14/05). A paralisação dos serviços compõe o calendário de luta dos servidores da autarquia definida em plenária nacional no mês passado, organizada pela Confederação Nacional AP_Foto_0044_2das Associações do INCRA – CNASI.

 

Em maio, este já é o segundo dia que a categoria para. Com o apoio do Sindicato Nacional dos Servidores Públicos Federais Civis no Amapá (SINDSEP), o conjunto dos funcionários resolveu não sair para o almoço. Fizeram uma feijoada no local de trabalho para protestarem suas condições de trabalho e a baixa remuneração.

 

Ao som de trio elétrico, os servidores lembraram a emblemática música de Geraldo Vandré, “quem sabe faz a hora, não espera acontecer”. E neste dia 14/05, os servidores mostraram que entoam a canção em uníssono. O compromisso em continuar com a mobilização se manteve tanto para a próxima segunda-feira,AP_Foto_0046 21/05, como já para esta quinta-feira, dia 17/05.

 

Lembrando que a defasagem e desvalorização salarial é comum a vários outros órgãos, a categoria AP_Foto_0037compreendeu que é necessário aumentar os esforços na mobilização organizada pela Confederação Nacional dos Servidores Públicos Federais (CONDSEF) para quinta-feira.

 

A indignação com o governo só aumentou quando os servidores viram publicada na manhã do dia a vergonhosa MP 568, que reajusta os salários em insignificantes 14 reais para nível superior em início de carreira, ainda para julho/2012. O pessoal de nível intermediário ficou com aumento de R$ 211, enquanto que os auxiliares, apenas com R$ 110. Sem fôlego para poetizar com Vandré, os servidores apelam ao hit do momento e parafraseiam: “Dilma, assim você nos mata”.

 

Fonte: Geovane Grangeiro – Diretor da Cnasi Região Norte, secretário de Juventude do SINDSEP-AP e da CUT

Os servidores do Incra lotados na Superintendência Regional da autarquia na Bahia aproveitaram o dia nacional de paralisação/mobilização desta segunda-feira (14/05) para reelegerem a chapa NOVO TEMPO, que tem a seguinte composição:

 

PRESIDENTE

Argentina Gonçalves Lopes (APOSENTADA)

VICE-PRESIDENTE

Marilene Teixeira Conceição

 

SECRETARIA

1.ª Júlia da Silva Conceição

2ª Maria Risete C. Silva (APOSENTADA)

 

TESOURARIA

1.ª Maria Aparecida Santiago da Silva

2º Denilda Rodrigues Porto

 

POLÍTICA SOCIAL E SINDICAL

Eric Barros Mota

 

ESPORTES, CULTURA E EVENTOS

Miguel Pedro da Silva Neto

 

SUPLENTES

Manoel Alves dos Santos (APOSENTADO)

Edvaldo Cerqueira (APOSENTADO)

Edvaldo Mascarenhas Ribeiro (APOSENTADO)

Edilson de Assis Santana

 

Fonte: Ascom Cnasi

A paralisação programada para o dia sete de maio de 2012 atingiu em torno de 80 porcento da força de trabalho da Superintendência Regional do Incra no Rio Grande do Norte (SR/19). Às 8 horas da manhã a ASSINCRA/RN já havia preparado todos os ingredientes para o café daRN_paralisa_07.05.12manhã, que foi servido às 9h30min, na entrada da Superintendência.

 

À exceção dos DAS e terceirizados, todos os demais servidores, inclusive engenheiros agrônomos e servidores do MDA, permaneceram paralisados durante todo o dia, com o atendimento externo RN_paralisa_7.5.12suspenso.

 

A paralisação contou ainda com o apoio do SINTSEF/RN, que disponibilizou um sistema de som e com alguns ingredientes do café da manhã. Na parte da tarde, foi realizada uma assembléia geral para escolha do representante ao Encontro Nacional dos Servidores do INCRA e MDA.

 

Fonte: Assincra/RN

Os servidores do Incra no Ceará paralisaram suas atividades em sete de maio de 2012, durante todo o dia, sendo que pela manhã houve uma reunião com o superintendente regional, Raimundo Cruz Pinto (Djalma), na qual foi apresentado aos servidores as dificuldades que a gestão vem enfrentando com o corte de orçamento.

 

CE_Reunio_Auditrio_013_3Djalma falou que a mobilização dos servidores nesse momento é importante para poder fortalecer o órgão e melhoria salarial e demais reivindicações, estiveram presentes no auditório em torno de cem pessoas.

 

No período da tarde, os servidores voltaram para o auditório e definiram a organização do dia 14 de maio de 2012. Foi decidimos ainda a paralisação das atividades novamente na data, sendo que pela manhã será feito um diagnóstico das dificuldades e problemas que os servidores estão enfrentando na Superintendência. No período da tarde do mesmo dia 14/05, haverá uma reunião com o superintendente substituto para discutir sobre assistência técnica nos assentamentos que tem problema operacional e financeiro.

 

A avaliação da paralisação do dia sete de maio foi muito boa, principalmente pelo volume de participação dos servidores. Os servidores do Incra no Ceará decidiram manter paralisação na segunda-feira, dia 14/05, e participar das atividades realizadas pelo sindicato com os outros órgãos no dia 17 de maio de 2012.

 

Fonte: Assincra/CE

O dia sete de maio de 2012 foi intenso para os servidores do Incra do estado do Amapá. Seguindo a orientação da última Plenária Nacional da CNASI, ocorrida no dia 26 de abril, os trabalhadores do órgão aderiram à pauta de paralisações marcadas para as segundas-feiras deste mês de maio. Isso significa que ainda haverá mobilizações nos dias 14 e 21 do corrente.

 

O servidor Marcelo Gonçalves, que participou da Plenária em Brasília como delegado do INCRA do Amapá, havia reunido os servidores do regional na sexta-feira, dia 04/5, para repassar as informações trazidas da capital federal. O horizonte se mostrou bastante hostil para a categoria, na avaliação de Marcelo.

 AP_P1010095_2

Por compreender que o governo já chegou ao limite do descaso com a reforma agrária no País, o que é refletido na desvalorização do servidor, a base no Amapá vem se tornando cada vez mais participativa nos movimentos grevistas. Por conta disso, paralisaram as atividades do órgão no estado e enfrentaram a truculência da superintendente local, que mesmo sabendo da legitimidade do pleito dos servidores esboçou furar o dia da paralisação para atender outro pleito – o dos madeireiros.

 

Mesmo com a incompreensão dos gestores, as lideranças locais estão confiantes na força do movimento. “Sem se deixar intimidar, os servidores mantiveram-se firmes, sabendo que AP_P1010066_2a causa que defendem é maior do que a que move os destruidores da floresta amazônica. Trata-se não só de reivindicações classistas, mas de interesse do Brasil, a reforma agrária”, assegurou Geovane Grangeiro, diretor regional Norte da Cnasi.

 

No próximo dia 14 haverá nova mobilização/paralisação dos servidores do INCRA, mas também no dia 17/05, quinta-feira, terá outro dia Nacional de Luta para todos os trabalhadores do serviço público federal. Até que o governo compreenda a justa demanda dos servidores do Incra e MDA, os profissionais vão permanecer no mesmo espírito de luta – era o que diziam os participantes do movimento no Amapá.

 

O movimento no estado foi unificado, pois conta com o apoio de todas as entidades representativas dos servidores do INCRA: CNASI, SINDSEP, ASSINAGRO e ASSEMDA.

 

Fonte: Assincra/AP

Em Belém a mobilização foi um sucesso, com a presença de cerca de 90 servidores, na entrada do prédio, demonstrando sua indignação com o atual padrão remunerativo e as condições de trabalho da autarquia, cujas atribuições extrapolam em muito a capacidade operacional do órgão.

 

O que cresce e cada vez é mais demonstrado na fala dos servidores é a preocupação com as famílias de trabalhadores rurais, representados em todas as categorias de atendidos pelo Incra e MDA, como os ribeirinhos, coletores extrativistas, quilombolas e demais populações tradicionais. Esse público é prejudicado pelo não atendimento de suas demandas pelo Incra, que se encontra deficitário em orçamento, pessoal, etc.

 

Os ribeirinhos – que são grande número no Pará –, dependerem justamente do trabalho da autarquia para alcançarem a segurança jurídica sobre as terras que ocupam e necessitam, para receberem os demais investimentos que eleve sua capacidade de produção, com inserção no mercado e melhorias na qualidade de vida. “O que está em jogo é muito relevante para que permaneçamos de braços cruzados. Vamos à luta !!!”, afimou Ronaldo Coelho, da Assincra Pará.

 

Fonte: Assincra/PA

Os servidores do Incra no estado do Maranhão – seguindo o calendário de mobilização definido em plenária da CNASI, em Brasília, no dia 26 de abril de 2012 –, realizaram evento no auditório da Superintendência Regional.

 

MA_DSC03050_3Durante a manhã do dia sete de maio de 2012, os servidores permaneceram reunidos em um café da manhã, tradicionalmente organizado pela ASSINCRA-MA e que serviu para um momento de mobilização e debates.

 

Na programação constaram as boas vindas aos novos servidores; repasse de informações sobre a situação da FASSINCRA e negociações salariais; entrega de documento da ASSINCRA-MA com demandas dos servidores para melhorias do órgão e fala do superintendente regional do Incra no Maranhão, José Inácio, e sua equipe sobre o andamento das ações da autarquia no estado.

 

Fonte: Assincra/MA

Página 31 de 34

Blogs das Regionais

Links Úteis

sindsepdfasseraincracutfassincracnasi_lutas